Menu

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Cantinho da Dani: Resenha - O Testamento

  Olá pessoal! Meu nome é Daniella e é um prazer estar aqui com vocês!! Sou amiga da Geovanna, tenho 19 anos e estou no 5º período de Direito da UEMG. Sinto-me honrada de postar aqui no Garota das Letras, um blog tão fofo, não é? Estarei postando toda sexta no Cantinho da Dani, mas, claro, se vocês leitores aprovarem o meu primeiro post! Estão esperando eu apresentar meu blog? Ah, isso não vai acontecer! Eu não tenho blog e a razão é bem simples, sou muito enrolada. Então, coitado dos meus leitores! Só iam conseguir ler um post meu a cada mês, ou cada semestre, cada ano, algo do tipo... Aaah, mas chega de lero-lero... lá vai a minha primeira resenha!

Autor: John Grisham
Editora: Rocco
Ano: 1999
Onde Comprar: Submarino/ Saraiva ( no sub tá 10,00!!)
Classificação: (4/5)

Sinopse: " O que você faria se fosse herdeiro de onze bilhões de dólares? Uma boa pergunta que tem uma eletrizante resposta neste novo romance de John GrishamO autor desenvolve a história da família Phelan - do patriarca, Troy Phelan, a seus estranhos herdeiros. Depois de escrever seu último testamento, o bilionário se suicida, iniciando uma batalha onde não faltam alcatéias de advogados, repórteres peçonhentos e uma família destroçada pela ambição e pelo dinheiro."

  Essa foi a primeira vez que li um livro de John Grisham e também uma ficção jurídica. Particularmente gostei muito da narrativa do autor, a leitura flui muito bem dando sempre aquele gostinho de quero mais; e por incrível que pareça o autor conseguiu se afastar dos vocábulos complexos, quase inerentes aos advogados, além de explicar os procedimentos legais com simplicidade e didática. O fato de ser um thriller jurídico e achar que não irá compreender não é desculpa para ninguémO livro trata de um testamento no valor de onze bilhões de dólares (sim, a quantia irrisória de onze bilhões de dólares), vários personagens gananciosos e a verdadeira herdeira nada interessada. 


  Troy, o velho dono da fortuna, era rabugento e impertinente, morreu deixando o dinheiro todo para uma filha rejeitada da qual ninguém havia ouvido falar e excluiu do testamento os seus seis filhos conhecidos, que por sinal são uns chatos, irresponsáveis e cheios de dívidas. Mas também com um pai ausente como Troy e que ficava contente ao ver os filhos fracassarem, os seus filhos tinham que ser completos idiotas mesmo.

  Troy planejou a própria morte, chamou os filhos com seus advogados e também psiquiatras para provarem que estava em perfeita condição mental e então, na frente deles, assinarem um testamento que os privilegiassem. Confirmado seu perfeito estado mental, assim que os filhos saíram, ele assinou na frente do seu mordomo e de seu advogado um outro testamento que apenas cobria os débitos dos filhos até aquele presente dia e deixava todo o resto para a sua filha ilegítima Rachel, com paradeiro desconhecido, e depois se atirou da cobertura. Mas os filhos de Troy só ficaram sabendo algum tempo depois do verdadeiro testamento, quando já tinham feito várias novas dívidas. Era imprescindível que eles conseguissem anular o testamento alegando que Troy estava louco, com o depoimento de outros psiquiatras, claro.

  Dr. Nate O’Riley, que acabou de sair de uma clínica de reabilitação pela quarta vez por seus problemas com drogas e álcool, ficou encarregado de encontrar a herdeira de paradeiro desconhecido, sabendo-se apenas que está em algum lugar do Pantanal sul-mato-grossense. E aí começa a aventura de Nate, um advogado acostumado com a cidade grande e moderna entrando no meio da floresta do pantanal, cheio de perigos e bichos para encontrar Rachel, que é uma missionária numa tribo indígena. Além da dificuldade de manter-se sóbrio. 


   É engraçado como o autor descreve o Brasil, a visão americana do Brasil. Ele tentou ser fiel, mas acabou fugindo da realidade. Mas nada que comprometa o livro. Entretanto achei interessante essa visão diferente.  Rachel encantou Nate e sua experiência de Deus o converteu. Mas Rachel não quis saber do dinheiro. Nate, meio apaixonado, volta para os Estados Unidos e defende o patrimônio de Rachel sem o consentimento dela. Os filhos de Troy, sem nenhum escrúpulo, tentam por todos os meios anular o testamento.

  Muito interessante o contraste que John Grisham dá à história; de um lado seis personagens infelizes e gananciosos, querendo a fortuna a qualquer custo. Do outro uma mulher contente com a sua escolha de Deus e a sua vida simples, não dando a mínima para o dinheiro em jogo. Também me chamou a atenção a advocacia americana, bem diferente da nossa. Eles fazem o julgamento parecer um grande e forçado teatro, sem ética e sem limites, muita sujeira. O final me surpreendeu, pensei em vários desfechos mas não consegui acertar, e nem é tão perplexo; confesso que gostei mais do final original em detrimento de todos os que imaginei!


Comentário da Gi: Gente, vamos todo mundo dar as boas vindas á Dani!! Agora, além da Pri e da Cynthia, vocês poderão ver sempre alguma resenha dela por aqui! Seja bem vinda Dani!! Comente, comentem, comentem! Quer presentão maior que esse á nossa nova resenhista??

31 comentários:

  1. adorei a resenha dani,mt legal,deu vontade de ler o livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Amanda! O livro é bem gostoso de ler, você vai adorar!

      Excluir
  2. Nossa, Dani! Gostei mto!
    Fiquei interessada na história!
    Vc escreve super bem (mas disso eu já sabia, hohoho!)
    sempre q escrever resenha aqui me grita q venho ler preu escolher uns livros novos pra ler!
    Parabéens!
    E, Geovanna, valeu pela oportunidade pra Dani! =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernanda? É gen? É a nossa Fer de Frutal! Galera que for gen por favor se apresente!!

      rsrs

      Excluir
    2. Obrigada Feer!! Você é uma fofa!!

      Excluir
    3. P.S. Geovanna, essa é a Fernanda Brito da minha sala!

      Excluir
  3. Boa resenha de estreia :D

    Pooxa não imaginava que a história fosse legal assim! Julguei muito pela capa sem graça kk
    Eu sempre gosto de observar como as pessoas descrevem o Brasil, mas nunca fico satisfeita! Acho que é mesmo impossível falar sobre algum lugar e costumes que você não vivencia!

    beijos!
    Brenda Lorrainy
    cataventodeideias.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é surpreendente mesmo! A maioria hoje em dia é muito enganado por causa de capa! As editoras já sacaram isso e cada vez mais criam capas bonitas pra chamar leitores... o que é uma pena, em minha opinião! Tem muito livro bom por aí que sofre o maior preconceito por causa de capa! Tento não levar isso muito em conta, afinal o que importa não é a aparência de um livro e sim o que há dentro dele!

      E nem os livros são legais com o Brasil né? Tá difícil! O povo pensa que a gente é um bando de índio, caipira, que vive pelado, come banana o dia todo e tem macaco como animal de estimação! Meu Deus!!! Nosso país tem gente tão boa, uma cultura e lugares tão bonitos mas parece que nem os brasileiros enxergam isso direito não? Como que o resto do mundo vai admirar o Brasil se os próprios brasileiros odeiam sua pátria!?

      Excluir
    2. Pois é meninas! John Grisham não é mesmo muito beneficiado em relação às capas; entretanto seus livros com capas tão sem graças alcançaram grandes número de vendas!

      Essa visão que o autor tem do Brasil é diferente e não fiel a realidade, mas não é depreciativa, na verdade ele tem uma visão até deslumbrativa do nosso país. Ele já veio diversas vezes aqui e adora, especialmente o pantanal! Rsrs

      Excluir
    3. E tem o fato também que nossa país é gigante e com muitos costumes! Aí eles acabam embolando tudo! kk
      Ps: e morro de raiva dos filmes brasileiros que acham que favela é o único roteiro disponível! Fica parecendo que aqui só tem trafico de drogas, bandidos e mulheres "fáceis"

      Sobre as capas acho que realmente eles deviam investir mais sempre via esse livro de forma super apagada no sub!

      beijo garotas!

      Excluir
    4. Contrariando todos os filmes do mundo, os filmes brasileiros sempre preferem mostrar o que o nosso país tem de pior! Concordo inteiramente com você!!

      Excluir
  4. Bem vinda Daniiiiiiii e começou mega bem. Adoro este escritor.



    Beijocas,
    Lariane - Leituras & Devaneios

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Lariane! Fico contente por ter gostado!

      Excluir
  5. por um mero acaso, resolvi acessar essa pagina, que daniella tinha postado no grupo gen brasil no facebook. gostei, vou ver outras resenhas do blog, mas parabéns desde já!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É gen? Da onde??? E valeu pelo apoio, por acompanhar o blog!!

      Excluir
    2. Obrigada Marcelo! Fico contente por ter gostado!! 1'

      Excluir
    3. sou gen 2, de Recife. achei o blog mt bem organizado e gostei das resenhas! minha paixão mesmo é cinema, mas tambem procuro sempre estar lendo um livro, vou buscar algumas indicações aqui! eu vi que tu comentou no resumo do ano sobre jogos vorazes, teve alguma resenha? tentei procurar, mas não encontrei, e estou pensando em ler essa serie

      Excluir
    4. Marcelo, dou minha palavra! Leia Jogos Vorazes e não se arrependerá! É uma trilogia genial! A autora foi brilhante, sou completamenta apaixonada na obra que ela escreveu! Apesar de ser um série aparentemente infanto juvenil, com muita violência, pois é um combate mortal, anual onde cada distrito de uma nação no futuro, Panem envia uma menina e um menino, ambos adolescentes para lutar numa arena, somando 24 tributos, jogadores e onde de lá só um sai vivo, apesar de ser sangrento e tudo mais traz a reflexão sobre o nosso mundo, marcado por ditaduras, onde muitos passam fome, vivem na miséria, sem direito a expressar sua opinião... pois tudo isso há em JV, lá o governo comanda a vida de seus cidadãos, todos trabalham quase de forma escrava para sustentar a elite, e os pobres ainda tem que aguentar ver seus filhos morrerem... ainda traz uma forte e bonita mensagem, que a mudança, a revolução, pode vir de uma pessoa, de nós mesmo, basta querer, pois ao se revoltar com aquele sistema cruel, a protagonista, uma das jogados dos jogos vorazes, se revolta, causando a fúria dos poderosos e trazendo esperança aos oprimidos! Bem gen né? Pois então, lê que nem todo esse texto enorme que escrevi deu pra expressar o quanto Jogos Vorazes é incrível! Há muitos fãs da série no país, vai sair um filme baseado nela em Março pra você que gosta de cinema, veja só que ótimo! Se quiser saber mais manda comentário que eu converso de boa, minha resenha está aqui:http://garotadasletras.blogspot.com/2011/06/resenha-jogos-vorazes_23.html e engraçado, há uma gen3 de Recife que ama JV! A Brenda, conhece? Ela tem blog, http://cataventodeideias.com e aposto que se comentar algo lá sobre JV ela vai adorar conversar sobre...

      Enfim, valeu o apoio e LEIA JOGOS VORAZES! LITERATURA JOVEM DE QUALIDADE!

      Excluir
    5. AA Marcelo daqui de Recife?
      Será que é o que eu to pensando?
      Você lembra de mim em alguma reunião do MJPU quando você era gen 3?

      Excluir
    6. Agora que reparei que você tinha me citado no comentário Geovanna kkkk

      Excluir
    7. pela atenção em escrever essa resposta da pra perceber que você gostou do livro! eu ja tava sabendo da adaptação pro cinema e vi muita gente falando bem, então agora estou decidido a ler. vou ver se passo ele na frente da minha "lista de espera" pra ler antes do lançamento do filme!
      valeu pela atenção! 1'

      Excluir
    8. sim sou eu mesmo!
      lembro de você sim :)

      Excluir
  6. Ainda não li nenhum livro do John Grisham
    confesso que ao ler a resenha fiquei com bastante vontade.
    anotei aqui, quando for fazer compras...comprarei sem dúvida.
    beijos
    boa sexta!

    Amy
    Macchiato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Amy, que bom que gostou! O livro é bem legal, você vai gostar!!

      Excluir
  7. Ei, Dani!
    Adorei a resenha! Parabéns!
    Já conhecia o autor, que tem o 'dom' de entreter seus leitores da primeira a última linha. Se tiver curiosidade, busque "O Advogado". É um livro muito bom, e ainda mostra a diferença existente entre um advogado da classe alta e um advogado dos sem teto, além de mostrar mais da advocacia norte-americana.
    Super beijo. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna, obrigada! E obrigada pela visita também!
      Adorei o autor e claro que vou ler outros livros dele! Tenho alguns já aqui para ler mas na minha próxima compra vou incluir O Advogado! Valeu pela dica! Beijos

      Excluir
  8. Oi Dani!
    Bem vinda!
    Adorei sua estreia, você escreve muito bem!! A Gi escolheu bem a nova colunista ;)
    Nunca li nada do autor, gostei de ver que ele não usa termos específicos e que a leitura é de fácil compreensão ^^
    Beijão!

    ResponderExcluir
  9. Dani, sua resenha ficou muito boa! Adorei!
    Até deu vontade de ler o livro, heheheh
    Depois vou pegar o livro emprestado com vc, para ler, ok? ;D
    Parabéns pela estréia, e continue escrevendo mais resenhas!!
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Linara, obrigadaa!! O livro está a sua disposição, fique à vontade, você vai gostar!

      Excluir
  10. Adorei.- Obrigada Côrtes--* O que mais me chamou a atenção, foi: “ O livro trata de um testamento no valor de onze bilhões de dólares (sim, a quantia irrisória de onze bilhões de dólares), vários personagens gananciosos e a verdadeira herdeira nada interessada. Rachel encantou Nate e sua experiência de Deus o converteu.”
    O quão é grande o Ideal de Deus, que faz com que pessoas, recusem os bens materiais em troca de uma “boa alma”.
    Não só, com grandes quantias irrisórias, mas também com pequenas, temos que discernir apenas o que é fundamental, e saber que: Não podemos servir a dois senhores, e sim Ao único e Eterno. Somente Deus, que garante a felicidade plena!
    Caso possível, ou melhor, se eu não perder o ânimo, pretendo ler o livro!
    Beijos, toda unidade – até a próxima

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiza! Não precisa por anônimo! Sei que é você ;)
      Obrigada pelos seus lindo dizeres! É mesmo só em Deus que encontramos a verdadeira felicidade! Um beijo, 1!

      Excluir