Menu

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Resenha: Um dia

Autor: David Nicholls
Editora: Intrínseca
Ano: 2011
Onde Comprar: Submarino/Saraiva
Classificação: (4/5)

Sinopse: Dexter Mayhew e Emma Morley se conheceram em 1988. Ambos sabem que no dia seguinte, após a formatura na universidade, deverão trilhar caminhos diferentes. Mas, depois de apenas um dia juntos, não conseguem parar de pensar um no outro. Os anos se passam e Dex e Em levam vidas isoladas - bem diferentes daquelas que eles sonhavam ter. Porém, incapazes de esquecer o sentimento que os arrebatou naquela primeira noite, surge uma extraordinária relação entre os dois. Ao longo dos vinte anos seguintes, flashes do relacionamento deles são narrados, um por ano, dia: 15 de julho. Dexter e Emma enfrentam disputas e brigas, esperanças e oportunidades perdidas, risos e lágrimas. E, conforme o verdadeiro significado desse dia crucial é desvendado, eles precisam acertar contas com a essência do amor e da própria vida.

Um dia. A história de duas pessoas, Emma e Dexter que passam uma noite juntos em 1988, no dia da formatura e que seguirão rumos diferentes. Dois jovens completamente distintos, cheios de esperanças, desejos, de vida. Ele, o filhinho de papai, arrogante, que só pensa em bebidas e mulheres. Ela, a garota bonita de baixa auto estima, com fama de caipira e jeitinho de hippie, que quer mudar o mundo. Mal sabiam eles que aquela noite  mudaria suas vidas. Mesmo se separando, eles continuam se falando, uma estranha ligação surge ao longo dos anos, Emma alimenta mais o amor que sentia desde a faculdade por Dexter, que por sua vez faz dela sua amiga, confidente. Um dia, é basicamente isso. A história de duas pessoas opostas que se conhecem, se "apaixonam" seguem rumos diferentes, mas, sempre estão ligadas, de alguma forma. Cada capítulo narra o dia 15 de Julho de um ano da vida dos personagens. Sendo assim, acompanhamos suas mudanças, seu crescimento (ou não) nos informamos sutilmente sobre o que houve nos 365 dias anteriores, desvendamos lentamente seus futuros, antes incógnitas para Em e Dex de 1988.

Cruelmente real. Assim defino Um dia, um livro sobre a vida e seus altos e baixos naturais, encontros e desencontros, tristezas e alegrias. 400 páginas de amor, amizade, passado, presente, futuro. Um retrato divertido e ao mesmo tempo amargo da vida. David Nicholls usou do comum e criou uma estória simples e genial que esbanja realidade. Sinceramente, apesar de cada capítulo ser um dia da vida de Em e Dex, apesar de ser  tudo muito cotidiano, o livro é mágico. Na verdade não sei exatamente de onde vem esse charme, se é o humor pincelado levemente em toda a trama, se são os personagens, não sei, só acho que a estória de David me cativou pois provou que sim, é possível escrever algo bom e  diferente usando fatos que poderiam acontecer a qualquer um, comigo, com você. Foi o que mais me chamou atenção, o que me prendeu na leitura: a magia secreta de Um dia.

A narrativa é interessante, um capítulo, um dia do ano da vida de Em e Dex que são personagens para muitos, caricatos. Dexter é o pior tipo de homem, um tremendo idiota, que não aceita seus sentimentos, que dorme com desconhecidas toda noite, está constantemente drogado e bêbado, a vida é uma festa sem fim para ele que não leva nada á sério, é arrogante e insuportável até a terça parte do livro. De início queria matá-lo, como alguém podia ser tão irritante? Mas como tenho uma longa experiência com  homens idiotas da literatura esperei e no fim, Dexter conseguiu subir no meu conceito, pois cresceu, percebeu e sofreu com os próprios erros. Tomara que os Dex´s que andam a solta  por aí caiam na real também. Já Emma foi amor a primeira vista! Gostei dela logo de cara! Toda hippie, cheia de ideais. Uma pessoa insegura, apaixonada, que vê o rumo de sua vida escorrer pelas mãos e ainda assim está sempre ao lado de sua amizade colorida  tentando colocar um pouco de juízo e amor no coração desse Dex. Adorei! 

Apesar de ter adorado a leitura, de sua "magia" ter me contagiado chego a conclusão que Um dia poderia ter sido um pouquinho melhor, principalmente por conta do final e de um fato que me chocou, entristeceu. Quem leu o livro sabe o que é e lendo a resenha vai entender o porque do meu pesar. Mas não nego seu mérito, recomendo, ainda mais se você quer fugir dos sobrenaturais,o livro cai como uma luva, pois é bem "pé no chão" mais adulto do que a maioria dos YA´s, real, absurdamente real e é esse seu maior diferencial. 

3 comentários:

  1. Olá, Geovanna!
    Adorei a sua resenha!!
    Quero adquirir este livro com a capa do filme, que para mim é muito mais bonita. Eu só tenho visto comentários bem positivos a respeito deste livro que só aumentaram mais a minha curiosidade a respeito.
    Bjos.

    Mariana Ribeiro
    Confissões Literárias.

    ResponderExcluir
  2. Gi, você não poderia ter descrito o livro de maneira melhor! Concordo em tudo que você disse, e acho que me encantei pela mesma magia que você se encantou!
    Também amei a Em e quis matar o Dex!
    O fim, pra mim, acabou caindo no clichê, o que foi inesperado considerando toda a originalidade da história. Mas não consigo pensar em um final melhor, acho que outro não teria a cara do livro ou seria pior ainda!
    Enfim, adorei a resenha!
    Beijão!

    ResponderExcluir
  3. Emam e Dexter, aaah esse deve ser um casal que é bom de ler e de se olhar!
    Mal posso esperar para ler o livro (quero aquele com capa nova, do filme) e mal posso esperar para assistir o filme, estu delirando aqui!
    Assisti umas 05 x o trailer do filme e me apaixonei mesmo!
    Essa é a primeira resenha que leio e fiquei satisfeita, pena que ele poderia ser um pouquinho melhor...
    Mas minha curiosidade só aumentou agora, rs.
    Beijão!

    enfimdeasasabertas.blogspot.com

    ResponderExcluir