Menu

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Resenha: Divergente

DivergenteAutor: Veronica Roth
Ano: 2012
Editora: Rocco Jovens Leitores
Onde comprar: Submarino - Saraiva
Classificação: (5/5)


Sinopse: Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

Em meio a uma Chicago do futuro, divida em facções ( grupos que separam os moradores a partir de virtudes )  Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição, Beatrice tem 16 anos e é chegada a hora de traçar seu caminho. Ela deve escolher sua própria facção,  uma escolha para toda a vida, complicada, ainda mais para uma filha de pais abnegados. Beatrice fica dividida entre deixar tudo para trás ou continuar com sua vida na Abnegação, tendo  o amor e aprovação dos pais. Durante a cerimônia, indecisa ela acaba fazendo uma escolha arriscada e surpreendente. A partir daí, ela entra em um mundo cheio de desafios e aventuras. Diferente de tudo que ela já tinha conhecido. Agora ela não é Beatrice, e sim Tris, uma nova pessoa. Seu primeiro objetivo é  sobreviver a iniciação em sua nova facção, o que Tris não sabe é que o pior ainda está por vir, um terrível destino a espera.

Divergente nos apresenta um universo futurístico fantástico. Super inteligente e interessante. As pessoas são divididas em facções. Os que se identificam com a sinceridade até as últimas consequências vão para a Franqueza, amantes do estudo escolhem Erudição, da mesma forma que os escolhem se doar em prol do próximo vivem na Abnegação. É dessa forma que a sociedade é controlada. Resumindo seres humanos complexos em cinco virtudes, características. A dominação é forte, porém quase ninguém a sente, pois ao serem inclusos em facções todos são levados a pensar, agir de um único modo. A personalidade própria de cada um é deixada para trás. Pura alienação. 

A narrativa é eletrizante, adentramos nesse mundo incerto e vamos desvendando-o junto a Tris que é sem dúvidas uma personagem forte. Me lembrou muito Katniss. Tal como a heroína de Panem, Tris é corajosa, decidida e durona. Nada a detém. É legal como ao entrar na facção Tris luta constantemente contra si mesma, porém ela não se encaixa, é diferente. Prova que a ideia das facções é furada! Quatro é outro bom personagem, pé no chão. Os dois rendem romance no livro, que é convincente, natural. Diferentemente de outras histórias o romance não é colocado no centro da história ( como em JV ). Ele apenas acontece em meio a tensão, aos acontecimentos bombásticos, o que é fenomenal. Aqui é distopia de verdade baby!

Divergente como toda boa distopia me divertiu e me fez pensar. Apesar do mundo do livro ser futurístico e parecer estar longe de nós a meus olhos é como que uma paródia de nosso mundo. Assim como Tris luta para se encaixar em sua facção, anulando-se, as pessoas do século XXI se esquecem de si mesmas, suas opiniões e seguem a massa, aquilo que a sociedade impõe. O tipo de corpo, o estilo musical, o comportamento, tudo. Sem ver que no fundo são meros brinquedos nas mãos dos grandes. A verdade é que ambos mundos são moldados a partir da vontade do poder. Outra reflexão que fiz é sobre a divisão das facções. No livro fica claro o óbvio, guerras, maldades, ambição, toda a natureza humana é impossível de ser bloqueada através de facções. Sempre existirão. Não será reduzindo pessoas em virtudes que nosso ser, instintos desaparecerão. São as diferenças a beleza de nossa raça ( mesmo que causem inúmeros problemas. )

Divergente é jovem, eletrizante, surpreendente . Leva o leitor a reflexão, trazendo inúmeras e complexas mensagens, super atuais. Indico a todos e logo espero poder ler a continuação, Insurgente, que pelo final do primeiro já dá para ver é bombástico. Ano que vem deve ser lançado a adaptação cinematográfica! Com Shailene Woodley como Tris ( a fofa que vai fazer a Hazel de A culpa é das estrelas também ) Theo James como Quatro, Katy Winslet como Jeannine, Jai Courtney como Eric o filme promete, já que a história é promissora e super visual, ficará perfeita nas telonas!
     

7 comentários:

  1. Tenho gostado muito dos livros e séries distópicas. Esta será mais uma que eu vou ler.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  2. Oi Geo!

    Sua resenha está maravilhosa, adorei mesmo! Estou desesperada por esse livro já não aguento mais esperar para lê-lo. Ninguem fala mal! Mas discordo com você em reação a JV. Não achei nem um pouco que o foco é o romance lá, bem pelo contrário. Pra mim foi só um acréscimo. E então fiquei na dúvida. Você prefere JV ou divergente?
    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tipo eu prefiro JV, não sei porque, aquela história me consumiu, acho muito incrível a ideia da arena, toda a emoção
      na verdade eu me precipitei, é mais em relação ao filme que me chateia, pq eles focam muito no romance, mas né
      cinema gira em torno do romance
      sei lá, acho tão foda o apelo social, de dominação e tal, é tão forte, além do romance, e o filme focou
      divergente é muito bom também
      mesmo

      Excluir
  3. Malvadaaa, sua resenha está mt boa, me deixou com vontade de ler, só tem um pequeno detalhe: antes ainda pretendo ler outras coleções. Qual nota daria para este livro de 1 a 5?

    ResponderExcluir
  4. esquece o q eu mandei sobre a nota, não tinha visto bjs.

    ResponderExcluir
  5. Acho que foi justamente isso que mais gostei em Divergente: o romance não ser o centro das atenções. Ele apenas está ali e é natural. Amei o casal *-----* Amei o livro *-----* Quero muito ler o segundo e estou louca pra ver o filme também (apesar de algumas ressalvas com algumas adaptações, estou torcendo por essa).

    Brunna Carolinne - My Favorite Book - @MFBook
    myfavoritebook-mfb.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Divergente está na minha lista de séries que quero começar a ler.
    Sinto que vou curti muito essa história, só não quero criar muitas expectativas e me decepcionar.
    Beijo

    http://allmylifeinbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir