Menu

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

A literatura clássica na TV: Minissérie Capitu

E quem nunca foi obrigado a ler clássicos no colégio? Foi justamente isso que fez com que muitos começassem odiar a leitura e tudo que esteja relacionado á "clássico". Memórias de um sargento de milícia, Senhora, Iracema, O cortiço, Grande Sertão: Veredas, Dom Casmurro... Quem nunca leu? Meu primeiro contato com os clássicos não foi nada traumatizante, pelo contrário, foi amor á primeira vista. Eu estava na sexta série e por acaso fiquei sabendo de uma minissérie que a globo ia passar, inspirada num livro nacional muito famoso, assisti e logo nos primeiros minutos me apaixonei por Capitu. Logo após o fim dos capítulos, procurei o livro, li e desde aquela época Dom Casmurro é um dos meus livros nacionais preferidos. Enquanto tantos torcem o nariz, sempre enxerguei a obra com os olhos teatrais e poéticos da minissérie. E acho que o segredo de se ler clássicos é esse, uma mudança de olhar.






É justamente da mulher de olhos de cigana oblíqua e dissimulada, de Bentinho, Machado de Assis, da adaptação televisiva de Dom Casmurro que venho falar hoje. Exibida no final de 2008, a minissérie Capitu reviveu a história mais polêmica da literatura: Afinal, Capitu traiu ou não Bentinho? A adaptação tem todo um "q" teatral, que somando á excelentes interpretações, fotografia,cenários e figurinos belíssimos, uma trilha sonora e todos os detalhes minimamente pensados resultaram em uma das maiores produções da globo, senão a maior, pura arte do início ao fim.






Não vejo  televisão, porém até gosto das novelas e minisséries de época da globo, justamente por gostar coisas antigas, dentre tudo que já assisti, Capitu é minha preferida! Ela retrata o que de melhor a cultura e a televisão brasileira tem a oferecer. Ela apresenta ao grande público uma visão inovadora do livro e foi isso o que me fez apaixonar por ele, e principalmente captou a genialidade e a essência irônica  de Machado de Assis, um homem que esteve a frente de seu tempo, como já disse, minissérie é uma  obra de arte.



Apenas peço que assistam, todos, os bookaholics, os que amam clássicos, os que odeiam principalmente. Vamos dar uma chance, mudar de pensamento, tenho certeza que a minissérie Capitu, vai mudar sua opinião  sobre esse e outros livros clássicos. Vamos assistir e valorizar nossa cultura, por vezes esquecida em meio a tanta influência estrangeira. Confiram, até pela novidade de um livro adaptado para uma minissérie de TV nacional, na Globo. Um brilhante trabalho baseado numa grande obra de um autor sem igual, que  merece ser apreciado.



No Youtube vocês acham várias partes da minissérie, vale a pena procurar, mas recomendo mesmo esse site aqui, no qual baixei todos os cinco episódios completos livres de problemas. Não perde tempo e clica! Fiquem agora com vídeos, logo ali acima há um de Elephant Gun, a trilha sonora, com várias cenas da série... E outro abaixo com a primeira parte do primeiro capítulo! Confiram e depois não deixem de me contar o que acharam! Comente no post! Qual sua opinião?






Esse post faz parte do Garota Retrô, a coluna onde falo de clássicos  e tudo referente ao universo antigo, vintage.

8 comentários:

  1. Ei vir a minissérie também mas no final tipo não entendi se a Capitu traio ele ou não,no livro conta?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas o legal da história é isso. Nem a minissérie, nem o livro nem ninguém sabe se ela traiu ou não. É um mistério insolúvel, e fico pensando, como Machado conseguiu criar uma obra dessas lá em 1800...? ELe era O CARA!!!

      Excluir
  2. Ai, Gi!
    Que post lindo! Juro que pensei em falar de Capitu esses dias!!
    Eu li o livro sem ser obrigada, também. Quis ler quando minha professora falou do mistério de ela ter traído ou não e me apaixonei pelo livro, como você. É um dos meus favoritos também, Machado é genial!
    Eu surtei quando vi que a globo faria a minissérie e foi a minha favorita também, uma das coisas mais lindas que já fizeram! Chorei tanto na cena das tranças!
    Eu gostei mais da Capitu jovem do que da Maria Fernanda...Ela é maravilhosa, mas achei que perdeu um pouco o ar de Capitu, não sei!
    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Totalmente apoio você postar sobre Capitu! Temos mais é que fazer esses bookaholics conhecer essa minissérie linda! O livro é ótimo, a adaptação melhor ainda pois consegue ser poética, teatral! Eu amo tudo isso, você me conhece né? Fiquei fascinada desde o primeiro segundo... Também prefiro a Letífica Persiles que a Maria Fernanda, ela "encarnou" melhor a essência da Capitu, era a personificação dela!!!

      Excluir
  3. Eu também fiquei conhecendo o livro pela minissérie,nossa muito bom.Lia com gosta aquele livro e tenho certeza que a Capitu não o traiu rsrsrs adorei esse post!

    ResponderExcluir
  4. Nossa, essa minissérie foi perfeita, fiquei até um pouco motivada a ler o livro depois de assistir, mas confesso que parei o livro na metade. É um tanto quanto massante, preferi Memórias Póstumas de Brás Cubas, do mesmo autor :b

    ResponderExcluir
  5. É simplesmente perfeita a maneira que foi feita a minissérie, tive o imenso prazer de conhecer essa grande obra de Machado de Assis no mesmo ano em que foi exibida pela rede globo, conheci a plena obra para uma prova no começo uma obrigação por querer obter uma boa nota, mais antes mesmo que chegasse ao final dessa grande história pôde me apaixonar loucamente pelas palavras do nosso querido Dom, que magnificas e encantadoras. Foi o primeiro livro que tive da Literatura nacional, confesso que sua capa hoje já não está em devidos cuidados linda como era e sim bastante desgastada pelas diversas e incansáveis vezes que li *-* Foram longas as noites, e em cada leitura uma nova descoberta, um novo detalhe que não tinha percebido das outras leituras. Minha paixão começou ali... E desde então ando viajando sem sair do meu quarto, por séculos, datas passadas e diversos lugares distintos. Paraabéns post perfeito ! Um dos melhores de mtos que já li ! ^^

    ResponderExcluir
  6. Ótimo texto Geovanna! Com certeza você conseguiu convencer muita gente a gostar e a valorizar mais a literatura clássica. Seus elogios a Machado de Assis incrivelmente precisos e de personalidade "um homem que esteve a frente do seu tempo", "um autor sem igual". Concordo com você também quando destaca o grande trabalho da Rede Globo. Apenas penso que era o minimo que podíamos esperar, já que a emissora conta com a melhor equipe de profissionais e todos os melhores recursos que a sua grande receita permite. Então a Rede Globo provou que pode apresentar um grande trabalho, principalmente quando este é obra de um escritor de verdade. Seu pensamento me despertou uma nova ideia. Você tem toda a razão quando diz que devíamos olhar de maneira de olhar para os clássicos. Dom Casmurro é uma obra fascinante. Apesar de ter sido escrita a mais de 120 anos é uma história super atual (atualíssima, como diria José Dias kkk). Machado de Assis é um gênio eterno. E você, se ainda não foi eternizada, nem por isso deixa de ser genial também. E linda.

    ResponderExcluir