Menu

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

E se os clássicos nacionais fossem lançados hoje?

E a pergunta não quer calar, aqui dentro da minha cabeça (desmiolada). Já imaginou os tão falados livros brasileiros sendo lançados atualmente? O que seria diferente? Quem seriam os autores? Bem, eu imaginei a possibilidade. E apesar da maioria torcer o nariz quando ouve falar desses livros, parte por serem leitura imposta pelas escolas, parte porque muitas vezes se passam em épocas antigas, mas alguns são interessantes e acredito que se fossem lançados agora, teriam muitos fãs. Você consegue enxergar os livros nacionais com um olhar diferente? Não gosta de clássicos? E se eu te falar que esses livros contém situações, personagens que encontramos facilmente nos livros modernos tão amados? Acredita? Então veja um breve lista sobre livros que poderiam ser facilmente lançados hoje em dia!
                           
                                        A moreninha

Li o livro depois de encontrá-lo na biblioteca da escola, na sétima série. Havia uma pilha deles e não resisti. É uma leitura leve, divertida, no maior estilo comédia romântica com personagens engraçadinhos. Apesar de algumas palavras difíceis é uma delícia de leitura. Se fosse relançado hoje nos tempos atuais daria um chick-lit perfeito! O primeiro livro lançado do gênero! Lá por volta de 1890.. Imagine um Rio de Janeiro atual e amigos universitários bem no estilo molecão que fazem uma viagem á praia com direito estadia na casa de parentes de um deles, entre eles um mocinho romântico que se encanta pela irmã de um dos amigos, se apaixona pela moreninha, uma garota que para toda Ipanema... Misture isso com inocência, humor... É ou não um enredo de hoje? Também seria totalmente possível que autoras como Meg Cabot e Marian Keys escrevessem a história, tanto no estilo High School  ou mas mais adulto.
                   
                                         Dom Casmurro  

Me chamem de doida, mas não escondo, eu adoro Dom Casmurro. Desde quando conheci em 2008 a minissérie que a globo produziu sobre o livro ele nunca deixou de me encantar. Pura arte, a coisa mais bela que aquela TV já fez! Aqui você pode ver uns trechinhos da minissérie, veja! Foi daí que conheci Elephant Gun que é uma das minhas músicas favoritas, e quando finalmente li o livro eu gostei bastante! Intenso, misterioso. E se transportássemos a história para os dias de hoje, cheguei a conclusão que seria um bom YA book! Mudando alguns poucos elementos, inserindo uma escola, transformando os personagens em adolescentes do século XXI acredito que o livro poderia agradar a muitos que me dizem que o livro dá sono. É fácil imaginar uma Capitu popular, cercada de garotos, um Bentinho nerd e tímido e um Escobar cobiçado, bonitão, que todas querem como namorado! Quer coisa mais de hoje que triângulo amoroso? Personagens populares, bobões e mistérios? Além do mais até saiu uma releitura que mistura o clássico com fantasia, bem legal: Dom Casmurro e os discos voadores. Pensando sobre, não deixo de lembrar de Tally, David e Zane de Feios, são situações, épocas e personagens diferentes mas ao mesmo tempo bem parecidos, e também associo a mãe de David: Maddy com dona Glória, sempre culpando Capitu, ou seja Tally.

Iracema
A história da índia que se apaixona por um branco, seu inimigo, abandona a família e passa por diversas tristezas é tão antiga como moderna. Não entendeu? Aposto todas minhas fichas que se fossem lançado hoje, com a Tsunami de YA sobrenatural que atingiu o Brasil, Iracema seria uma espécie de Academia de Vampiros. Invés da guerra entre índio e branco teríamos uma luta entre famílias vampiras, uma mocinha vamp  que se apaixona pelo rival vai viver com ele, muitos confrontos entre seres das trevas e assim por diante. Uma dica a quem não gosta desse estilo de livro e tem de ler por causa de vestibular e afins é imaginar a trama nos dias de hoje. #Fica a dica.


A hora da estrela
E Clarice que permanece viva através de Tumblrs e Twitters, também poderia agradar aos jovens que colocam suas frases em perfis se sua obra A hora da estrela fosse lançada nos anos 2000. Invés de uma nordestina que vai para uma cidade grande do Brasil seria totalmente possível que em seu lugar houvesse uma garota simples que saí de uma cidade do interior do Tennessee para tentar a sorte em N.Y, Los Angeles ou Miami. Lá arranja um namorado bonitão que logo termina com ela
( leva um pé). Se deprimi, sofre na mão das patricinhas, sofre, sofre.Daria um chick lit misturado com drama bem razoável se querem saber da minha opinião! Que poderia ser sucesso entre a galera mais nova!


Coleção Vagalume
Muito antes de Harry Potter, Percy Jackson ou da maioria das séries fantásticas existirem, os livrinhos Vagalume encantavam gerações e gerações de pequenos leitores, eu mesma fui uma. Que caiu de paraquedas no mundo da leitura depois que uma professora mandou ler "O mistério de Jonas" um livro dessa imensa coleção. Ok. Sei que nem dá pra comparar essas séries com os livros vagalume, esses livros são bem clichês, mal desenvolvidos, pequenos, ultrapassados. Mas há alguns legais, com boas histórias cheias de mistério, seres sobrenaturais e aventura, que se fossem parar em mãos talentosas poderiam fazer muito sucesso atualmente. 


E aproveito para indicar livros que estão na minha lista de favoritos, além de Dom Casmurro já citado. Indico A marca de uma lágrima do Pedro Bandeira e Ciranda de Pedra de Ligya Fagundes Telles. Pedro Bandeira é considerado o grande escritor brasileiro juvenil, eu não acreditava muito nisso, até ler A marca de uma lágrima. Alô? Li em um dia e meio, praticamente consumi as páginas. O livro é totalmente atual, de adolescente mesmo, com muito amor e drama, além de conter um famoso mocinho desejado, uma menina complexada, uma amiga apaixonada, triângulo amoroso e muito mais. Leiam já, ordeno! Ciranda de pedra entra para o hall dos intensos, ao lado da história de Capitu, Morro dos ventos uivantes e Pássaros Feridos, pra gente que ama essas coisas é super indicado!

Espero que tenham gostado do post, e não se esqueça de comentar. Quero deixar claro que não pretendo ofender ou menosprezar livros nacionais. Ao contrário, acho eles muito bons, e apenas tentei mostrar que eles podem sim ser atuais. OK? Afinal, Machadão, Alencar entre outros titãs não são famosos a toa. São atemporais. Nada me tira da cabeça que muitos livros da nossa terrinha que são rejeitados, se lançados hoje, mais moderninhos, em forma de YA fariam um sucesso estrondoso. #Para pensar.

8 comentários:

  1. Destes eu não li nenhum, mas sei que logo terei que ler alguns devido ao vestibular ano que vem...

    Acho que se fossem lançados agora não fariam sucesso não!
    Os jovens leitores querem algo mais animado, diferente!

    Beijos!

    Bia | Livros e Atitudes
    Ajude nas campanhas: Aqui | Aqui

    ResponderExcluir
  2. Gi, mais uma vez você está de parabéns pela originalidade!
    Adorei a maneira como você "atualizou" "A Moreninha" e concordo plenamente que "Iracema" seria um ótimo YA sobrenatural!
    Sou apaixonadíssima por "Dom Casmurro", mesmo antes da minissérie. É um dos meus livros favoritos e é incrível, acho a trama sensacional e nem um pouco cansativa!
    Amo, também, a série vagalume!
    Li grande parte dela na minha pré-adolescência, ela ajudou a nutrir meu gosto pela leitura! E até hoje admiro muito o Pedro Bandeira, "A Marca de Uma Lágrima" foi uma história que me conquistou quando li, isso sem citar a série dos "Karas" e "O fantástico mistério de Feiurinha"!
    Adorei o post!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Linda, parabéns pelo post... Adorei o incentivo que você acabou dando pra leitura dos clássicos... Muita gente se assusta com esse nome e foge da leitura...e são histórias ótimas e originais... Tá que um best-seller às vezes cai bem, mas um clássico desperta muitas sensações maravilhosas... é uma porta pra outra época, outro estilo de vida... Como professora de literatura, posso apenas parabenizá-la! Muito bom!

    ResponderExcluir
  4. ADOREEEEI o post! Sério mesmo!
    Aprecio muito estes clássicos da literatura! Sou fã incondicional de Dom Casmurro, está entre os meus preferidos. A Hora da Estrela é inigualável (recomendo também assistir ao filme).
    E a coleção Vagalume, que saudade! Comecei a me apaixonar mais seriamente pela leitura por causa desses livros.
    Mas, honestamente, a graça desses livros está no fatos deles serem o que são, essa questão de época, costumes. Particularmente, eu não gostaria e não teria muito interesse neles se fossem relançados em forma de YA.

    Bjinhos,
    escrevendoloucamente.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Adoro livros nacionais mas confesso que não gosto muito desses aí, já li vários inclusive estes citados e a leitura não me agradou. Creio que pelo motivo de não concordar com alguns costumes e regras impostas na época.
    Porém adoro os livros do Pedro Bandeira este é lindo o meu preferido é Descanse em paz meu amor.
    Beijos.

    Books E Desenhos

    ResponderExcluir
  6. Amei o post, Geovanna! Parabéns!
    Gostei demais ( ainda não li nenhum desses ), mais gostaria. Muita gente diz que não gosta desse tipo de livro. Claro as " pessoas " de hoje só gostam de HP, PJ, Crepúsculo... Apesar de eu gostar muito desses tipos de livro.
    São coisas que sempre deveremos inovar. Por que são coisas muito legais. Acho que mesmo eu gostando dos tipos de livros atuais, gosto de clássicos. Novamente parabéns pelo post, e pelo blog fantástico que você tem...
    Beijos
    http://so-soline.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Desse eu li Dom Casmurro e A hora da estrela que por sinal são ótimos... mas se eles fosse lançados hoje? não sei... mas uma coisa é certa os livros não perderiam sua genialidade, porque livro bom é bom independente da época.

    ResponderExcluir
  8. Aliás muito engraçado suas estórias sobre os livros ^^, não sei de onde você tira tanta criatividade.

    ResponderExcluir